sábado, 14 de abril de 2012

O Outro Pedaço!?

"Uma obra, seja ela qual for, jamais estará concluida"



(...) O telemóvel estremeceu-me lá bem no fundo daquele bolso profundo. Puxei-o para fora, pus os olhos nele e logo percebi que era uma mensagem com imagem. Abri-a e - boquiaberto - interiormente, exclamei:
Uiiii!!...
Os meus olhos brilharam (repentinamente), humedeceram-se, reflectindo a emoção sentida naquele precioso momento.
O meu corpo, todo ele vibrou.
O coração palpitou e acelerou-se.
A minha alma equacionou, pensando, vacilando (...)
A metade (ou outra qualquer parte) que me completará, por onde andará, ela?!
Serás tu?! - Comentei para com os meus botões, num tom interrogatório, admirado simultâneamente, ao olhar fixamente para aquela surpreendente imagem que acabava de aparecer no minúsculo ecrã, colorida e fortemente comunicativa.
(GM Lanterna Romântica 14-04-2012)

5 comentários:

mfc disse...

E quem não gosta de ser agradavelmente surpreendido?!
Um texto que nos faz sorrir de contentamento.

Um abraço,

Multiolhares disse...

o amor aparece quase sempre de parte incerta nos contornos da vida.
bom fim de semana

Janita disse...

Pois...pode até ter razão, mas as obras inacabadas deixam um gosto amargo de grande insatisfação!

Fiquei sem saber se seria "ela" que lhe aparecia no pequenino ecrã....quem seria o visitante misterioso lá na cabana...quem é essa figura etérea que lhe aparece ao anoitecer...se o poema termina em "aparição divinal"...
assim não dá!!

Peço desculpa mas aconselho-o a retirar as palavras de verificação.
São um autêntico quebra-cabeças/prazer de comentar...sorry!

Canto da Boca disse...

A citação sobre o inacabamento das coisas, é formidável!
A imagem da mesa, sem um banco, retratou bem.

Lhe segui desde o blogue do Manel (MFC)

;)

estrelinha disse...

É surpreendente como um simples texto consegue deixar-nos pensativos e ao mesmo tempo curiosos com um final incerto. São viveres do dia a dia? ou pura imaginação? gostaria que me respondesse. :)Beijosss.